Psitacídeos: Aparar as asas (contenção do vôo)

O aparar de algumas penas alares é rotineiramente realizado nos psitacídeos. Os benefícios incluem a prevenção de lesões decorrentes do voo, prevenção de uma fuga acidental e como auxílio no seu treino e domesticação.
Com as asas aparadas, a ave não deve ser capaz de voar ou ganhar impulso, mas planará suavemente para o solo por uma pequena distância. O proprietário deve estar ciente que algumas aves ainda podem voar, especialmente quando expostas ao vento.
Um corte inapropriado das penas alares pode resultar em irritação e fazer com que algumas aves se limpem excessivamente, ou comecem a bicar as penas.
O corte de penas hemorrágicas resultará em hemorragia, podendo causar a morte da ave se a mesma não for socorrida imediatamente. Se está inseguro em como cortar as penas da sua ave, peça auxílio ao seu veterinário.
A ave deve estar imobilizada com segurança na hora do corte das penas, porque os cortes excessivos impossibilitam as aves de planarem, propiciando a ocorrência de quedas que podem resultar em fracturas nas asas ou nas pernas ou a ponta do bico pode lascar-se.
As aves jovens devem aprender a voar para desenvolverem habilidade de aterragens antes do seu primeiro corte, isso permite que elas desenvolvam equilíbrio e agilidade. As aves necessitarão de um corte adicional de 3 meses após o início de uma muda.

fonte: https://www.mundodosanimais.pt/aves/psitacideos/#aparar-unhas