Como domesticar uma ave

ARARA CANINDÉ (ARA ARARAUNA) | FOTOGRAFIA: FREDERICO LISBOA
Domesticar uma ave pode revelar-se uma tarefa frustrante ao início, mas bastante compensatória no final.
As aves que não são “amamentadas” por nós necessitam de mais tempo e paciência para serem domesticadas. Deixo-vos aqui algumas dicas úteis para quem pretenda criar uma relação especial com uma ave:
Os primeiros tempos
Fazer uma aproximação sempre tranquila e confiante;
Assim que a ave chegar a casa, coloque-a na gaiola o mais rápido possível dando-lhe espaço e tempo para se ambiente ao seu novo lar;
Durante este período não se aproxime muito dela caso esta não seja dócil, mas permaneça no seu raio de visão e vá falando com ela;
Coloque a gaiola ao nível dos olhos, para que não tenha que se inclinar para falar com a ave, os pássaros manifestam receio perante esta atitude;
Atribua-lhe um nome porque isso vai ser importante;
Sempre que se aproximar da gaiola mencione o nome da ave e fale sempre tranquilamente;
Vá assobiando uma melodia igual de forma a que, sempre que a ave ouvir esta melodia fique mais tranquila;
Na altura de limpar ou segurar a gaiola, não faça movimentos bruscos.
Depois da ave estar habituada à sua nova casa e de estar à vontade com a sua companhia
Ao dar fruta, não a coloque logo na gaiola: dê-lha na sua mão, se possível sempre às mesmas horas;
Dê algo que a ave realmente goste: isso depende muito da espécie e dos gostos da própria ave. Os papagaios adoram amendoins (mas não exagere);
Até que a ave venha realmente comer à nossa mão pode levar semanas, sendo necessário uma enorme paciência e dedicação para não perder a confiança da ave;
Nunca a tente agarrar sem que seja extremamente necessário. Só poderá fazê-lo quando a confiança entre ambos for grande.
Consolidando a relação
Quando a ave já não mostrar medo, acaricie a cabeça ou o peito – sempre com calma e suavemente porque um gesto brusco pode levar tudo à estaca zero;
Para que a ave saia da gaiola sem medo ponha uma mão à altura das patas e segure na outra mão um petisco um pouco mais alto, para que ela tenha que utilizar a primeira mão como degrau;
Antes de soltar a ave, não se esqueça de verificar se todas as portas e janelas estão fechadas, de retirar todas as plantas venenosas e certifique-se que nenhum outro animal de estimação perseguirá a ave;
Na hora dela regressar à gaiola, use o truque do petisco, mas no sentido inverso;
Se não resultar, a melhor forma de capturar a ave (e menos traumatizante) é lançando sobre ela um pano, depois de ter escurecido o espaço.
Conselho: Tenha muita paciência e calma que o resultado final é muito gratificante, se a ave for mais teimosa insista e não desista!

fonte: https://www.mundodosanimais.pt/aves/psitacideos/#aparar-unhas