Psitacídeos

É nessa família que encontramos as araras, papagaios, periquitos, jandaias, maracanãs, tuims, agapornis, etc. No mundo, as espécies encontram-se distribuídas pela área tropical do globo terrestre (neotropical, afrotropical, oriental e australiano) e irradiam-se para as áreas subtropicais e frias. O Brasil é o país mais rico do mundo nesta família, possuindo desde exemplares menores como o tuim com 12 cm até o maior representante, como a arara-azul, com 1 m de comprimento. Na época do descobrimento de nossas terras, essa abundância já era reportada, sendo o nosso país designado como “Terra dos papagaios” (Brasília sive terra papagallorum).

As principais características dessas espécies são possuir uma cabeça larga e robusta onde se apóia um bico forte, alto e curvo especializado em quebrar e descascar sementes. Para ajudar na manipulação dessas sementes, eles ainda possuem uma musculatura na mandíbula e na língua muito desenvolvidas. Possuem pés curtos, mas muito articuláveis, que além de sustentarem o corpo dos animais, auxiliam na manipulação dos alimentos que consomem. Tanto os machos como as fêmeas possuem lindas plumagens com cores exuberantes, conferindo-lhes uma beleza inigualável. Usualmente os sexos são bem parecidos.

Esta família é constituída de 78 gêneros (divisão dentro da família), onde são distribuídas 332 espécies de psitacídeos. Estudos realizados em 1994 mostram que 86 dessas espécies estão criticamente muito próximas da extinção e outras 36 ameaçadas de extinguirem se medidas não forem tomadas. Só no Brasil vivem cerca de 84 espécies distribuídas em 24 gêneros, segundo o Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos (CBRO).

fonte: http://projetoararaazul.org.br/arara/Home/AAraraAzul/Psitac%C3%ADdeos/tabid/291/Default.aspx

Arara-canindé

Nome popular: Arara-canindé,arara-de-barriga-amarela
Nome científico: Ara ararauna.
Comprimento: 75-86 cm
Peso: 995 a 1380 g.

Coloração: a parte superior do corpo possui a coloração azul e a inferior amarela, possui fileiras de penas faciais pretas e garganta também preta.

Distribuição Geográfica: Panamá, Colômbia, Guianas, Equador, Peru, Bolívia, Paraguai e Argentina. No Brasil ocorrem na região norte, centro-oeste, Bahia, Minas Gerais e São Paulo. Desde 2002 vive na cidade de Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul, onde é facilmente observada.

Habitat: Várzeas com buritizais, babaçuais e beira de mata.

Alimentação: Frutas e sementes na sua maioria de palmeiras.

Status: essa espécie é classificada como CITES II. Não se encontra em perigo eminente. Mas como a maioria dos animais brasileiros, essa espécie apresenta problemas localmente, ou seja, é abundante em alguns locais e em outros não é muito freqüente, pois a destruição do ambiente nesses locais afastou as araras. É muito encontrada em cativeiro. Espécie estudada pelo Projeto Arara Azul.

fonte: http://projetoararaazul.org.br/arara/Home/AAraraAzul/Ararasdog%C3%AAneroAra/AraraCanind%C3%A9/tabid/300/Default.aspx

Arara vermelha

Nome popular: Arara-vermelha, arara-vermelha-grande
Nome científico: Ara chloropterus
Comprimento: 90 a 95 cm.
Peso: 1050 a 1708 g.

Coloração: coloração vermelha, diferindo da arara-piranga por ter penas verdes no lugar das amarelas nas asas e por possuir uma fina fileira de penas vermelhas na pele facial branca.

Distribuição Geográfica: ocorre no Panamá, Colômbia, Venezuela, Guianas, Equador, Peru, Bolívia, Paraguai. No Brasil ocorre desde a Amazônia até oeste do Piauí, Bahia, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e São Paulo. Assim como a arara-canindé, também vive na cidade de Campo Grande. A observação de bandos de araras vermelhas expandindo e migrando está tornando possível a ocorrência desta espécie na divisa dos estados de Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná, onde já era considerada extinta.

Habitat: Matas de beira de rios em florestas tropicais, cordilheiras e capões no Pantanal, podendo dividir ou alternar alguns ninhos com as araras-azuis.

Alimentação: Frutos e sementes em geral.

fonte: http://projetoararaazul.org.br/arara/Home/AAraraAzul/Ararasdog%C3%AAneroAra/Araravermelha/tabid/301/Default.aspx

Ara-canga

Nome popular: Ara-canga, arara-vermelha-pequena
Nome científico: Ara macao.
Comprimento: 80 a 96 cm.
Peso: 900 a 1490 g.

Coloração: coloração vermelha, com penas amarelas e azuis nas asas, pele facial branca.

Distribuição Geográfica: ocorrem no México, Nicarágua, Costa Rica, Panamá, Colômbia, Venezuela, Guianas, Equador, Peru e Bolívia. No Brasil ocorre na Amazônia, Mato Grosso, Tocantins, Maranhão.

Habitat: Mata e beira de rio.

Alimentação: Frutos e sementes.

Status: essa espécie não se encontra em perigo de extinção, mas é classificada como CITES I. Ela só é observada em ambientes onde não há perturbação humana e também sofre problemas (destruição do ambiente) em certos locais e coleta de penas pelos indígenas.

fonte: http://projetoararaazul.org.br/arara/Home/AAraraAzul/Ararasdog%C3%AAneroAra/Aracanga/tabid/302/Default.aspx